FILME DO DIA

E-BOOK

CINEMARDEN VAI AO OSCAR

ALTA TRAIÇÃO

O cineasta alemão Ernst Lubitsch já trabalhava em Hollywood há cinco anos quando dirigiu seu décimo filme americano, Alta Traição, em 1928. O roteiro de Hanns Kräly, premiado com o Oscar da categoria, é uma adaptação de peça de Ahsley Dukes e Alfred Neumann. A ação se passa na Rússia do século 18. É lá que o czar Paul I (Emil Jannings, no terceiro dos quatro filmes que estrelou naquele ano) se torna alvo de um complô que visa matá-lo. Ele confia apenas em Pahlen (Lewis Stone), seu melhor amigo. E este, por sua vez, enfrenta um grande dilema por conta dessa amizade. Apesar de mudo, o filme teve música e efeitos sonoros inseridos na pós-produção. Lubitsch, mais conhecido pelas comédias que realizou, revela-se tão bom quanto neste tenso drama histórico. Alta Traição recebeu ainda outras quatro indicações ao Oscar, entre elas as de melhor ator (para Lewis Stone), diretor e filme. No entanto, praticamente todas as cópias desta obra se perderam. Para vê-lo é preciso “garimpar” bastante e ter muita paciência. Mas o esforço vale a pena.

ALTA TRAIÇÃO (The Patriot – EUA 1928). Direção: Ernst Lubitsch. Elenco: Emil Jannings, Florence Vidor, Vera Voronina, Neil Hamilton e Harry Cording. Duração: 113 minutos. Distribuição: Paramount.

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS POSTAGENS

ASSINE E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES