FILME DO DIA

E-BOOK

CINEMARDEN VAI AO OSCAR

ORGULHO E PRECONCEITO

As cinco irmãs Bennet – Jane, Elizabeth, Lydia, Mary e Kitty – cresceram com uma fixação: casar com um marido rico. Essa fixação, na realidade, foi incutida pela mãe delas. Era normal na Inglaterra do início do Século XIX essa preocupação dos pais com o futuro de suas filhas. A história das meninas da família Bennet, e, em especial, a da segunda filha, Elizabeth, é o mote do romance Orgulho e Preconceito, escrito por Jane Austen e publicado em 1813. Foram produzidas pelo menos cinco adaptações para TV e a mesma quantidade para o cinema. Uma das melhores é a versão cinematográfica dirigida em 2005, pelo então estreante Joe Wright. O que a torna diferente das demais? É simples. Ela possui uma qualidade que é muito cara ao cinema: movimento. As outras versões são “teatrais” e “solenes” demais. Wright conseguiu imprimir leveza e agilidade ao texto de Austen e fez com que os atores se mexessem o tempo todo em cena. Eles não param um minuto de andar pelos cenários. Isso faz toda a diferença e torna o filme mais envolvente e “contemporâneo”. Mesmo não se passando nos dias de hoje. Uma história de amor carregada pelos sentimentos aludidos no título e que serve também como um retrato da sociedade da época. As personagens de Elizabeth e Darcy, ícones românticos, encontram em Keira Knightley e Matthew MacFadyen dois intérpretes perfeitos. Uma trama já conhecida, porém, contada com um frescor arrebatador.
ORGULHO E PRECONCEITO (Pride and Prejudice – Inglaterra 2005). Direção: Joe Wright. Elenco: Keira Knightley, Matthew MacFadyen, Brenda Blethyn, Donald Sutherland, Tom Hollander, Rosamund Pike, Jena Malone, Carey Mulligan, Tatulah Riley e Judi Dench. Duração: 127 minutos. Distribuição: Universal.

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM

4 respostas

  1. É o tipo de filme que não canso de assistir. Perdi a conta de vezes que vi em vídeo, dvd, ou mesmo na sessão da tarde na televisão.
    A forma como é contada a história é envolvente. A obra de Jane Austen é maravilhosa. Também já assisti *Razão e Sensibilidade (Sense and Sensibility,* Emma, e * Persuasão (Pesuasion).

  2. dizer que eu já vi esse filme mil vezes é pouco. eu já vi zilhões. eu só não acho que a Keira Knightley foi perfeita. na minha leiguice, eu acho ela beeeem xaropinha e forçadinha. principalmente nas partes em que ela fica dando risadinhas, como no baile do comecinho do filme e embaixo do lençol com a irmã Jane, depois desse baile, falando do Mr Bingley. beijo, Marden!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS POSTAGENS

ASSINE E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES