FILME DO DIA

E-BOOK

CINEMARDEN VAI AO OSCAR

A MÚMIA (2017)

No começo dos anos 1930, a Universal Studios resolveu apostar no cinema de horror e deu início a uma série de filmes conhecidos hoje como “clássicos do terror”. Drácula, de 1931, dirigido por Tod Browning, foi o primeiro deles. No mesmo ano, foi lançado também Frankenstein, de James Whale. No ano seguinte foi a vez de A Múmia, com direção do estreante Karl Freund. No final dos anos 1950, os estúdios Hammer, da Inglaterra, apresentaram sua versão de A Múmia, desta vez, com direção de Terence Fisher e tendo Christopher Lee no papel título. Em 1999, a mesma Universal do filme original decidiu “turbinar” a franquia misturando elementos de terror com aventura, estilo “Indiana Jones”. Escrito e dirigido por Stephen Sommers e com Brendan Fraser à frente do elenco, esta versão gerou duas continuações. Agora, 85 anos depois do primeiro filme, o mesmo estúdio planeja “atualizar” seus monstros clássicos e para tanto, decidiu trazer A Múmia de volta outra vez. Na verdade, esse “retorno” faz parte de uma estratégia de mercado muito mais ampla. Com o nome de Dark Universe, o estúdio pretende atualizar e revitalizar a franquia de seus monstros clássicos. Para os próximos anos estão previstos O Homem Invisível, com Johnny Depp e Frankenstein, com Javier Bardem. Todos ligados por um elo comum, o Dr. Jekyll, de O Médico e o Monstro, papel de Russell Crowe, que já aparece neste A Múmia. Esta nova “encarnação” tem a assinatura de Alex Kurtzman, mais conhecido pelos roteiros dos dois filmes de Star Trek dirigidos por J.J. Abrams. Este é seu segundo longa como diretor. O roteiro, de David Koepp, Christopher McQuarrie e Dylan Kussman, segue muito pouco a premissa original. Com a atriz Sofia Boutella no papel de Ahmanet, que é mumificada viva, e tendo o astro Tom Cruise à frente do elenco, esta versão 2017 lembra bastante uma outra franquia estrelada pelo ator. Sobrou pouco terror e houve uma tentativa de privilegiar a ação, os efeitos especiais e estabelecer as bases para ligar todas as histórias futuras que serão contadas com os outros monstros do estúdio. Esta fórmula vem sendo utilizada pela Marvel em seus filmes, no entanto, no caso de A Múmia, faltou combinar com os roteiristas. Há aqui uma carência, digamos assim, de simpatia, por parte das personagens. Algo fundamental em qualquer história. Uma vez que o herói, seus assistentes e mesmo o vilão possuem carisma zero, fica difícil, para não dizer impossível, criar algum tipo de empatia e, consequentemente, se interessar pela trama. Aí, meu amigo, bate aquela saudade de Boris Karloff, de Christopher Lee e até, pasmem, de Brendan Fraser.

A MÚMIA (The Mummy – EUA 2017). Direção: Alex Kurtzman. Elenco: Tom Cruise, Russell Crowe, Sofia Boutella, Annabelle Wallis, Jake Johnson, Courtney B. Vance e Marwan Kenzari. Duração: 110 minutos. Distribuição: Universal.

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS POSTAGENS

ASSINE E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES