FILME DO DIA

E-BOOK

CINEMARDEN VAI AO OSCAR

THE COMMITMENTS – LOUCOS PELA FAMA

“Os irlandeses são os negros da Europa. E os dublinenses são os negros da Irlanda. E os dublinenses do norte são os negros de Dublin. Então diga uma vez e diga alto: Eu sou negro e tenho orgulho disso”. Essa frase é dita pela personagem Jimmy Rabbitte, vivida pelo ator Robert Arkins, no filme The Commitments. Ele mora na região norte de Dublin, capital de Irlanda e quer montar uma banda de soul. Jimmy não é cantor nem compositor. Ele sonha empresariar uma banda de sucesso. Para tanto, convida alguns amigos e coloca um anúncio recrutando interessados. O filme é baseado em um livro escrito por Roddy Doyle. Quando o projeto foi anunciado, criou-se uma expectativa negativa na Irlanda. Como é que uma típica história irlandesa, produzida com grana americana e dirigida por um inglês poderia funcionar? Alan Parker, o diretor, soube captar muito bem o clima do livro e de Dublin e realizou um filme cativante que pode ser resumido em uma palavra: sincero. The Commitments – Loucos Pela Fama exala sinceridade por todos os fotogramas. Ao optar por um elenco composto por jovens e inexperientes atores locais, Parker deu ao filme um senso de urgência e honestidade impressionantes. E ao intercalar situações engraçadas com momentos mais tensos e dramáticos, imprimiu o ritmo certo para a condução da trama. Tudo isso tendo como fundo uma trilha sonora da melhor qualidade. The Commitments é o tipo de filme com o qual criamos uma forte ligação afetiva. É daqueles que sempre queremos rever para encontrarmos de novo velhos e queridos amigos.
THE COMMITMENTS – LOUCOS PELA FAMA (The Commitments – Inglaterra 1991). Direção: Alan Parker. Elenco: Robert Arkins, Colm Meaney, Michael Aherne, Angeline Ball, Maria Doyle Kennedy, Dave Finnegan, Johnny Murphy, Andrew Strong, Bronagh Gallagher, Felim Gormley e Glen Hansard. Duração: 118 minutos. Distribuição: Fox.

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM

3 respostas

  1. “I´m black and I´m pround!”. Impossível esquecer esta frase. Sim, tens razão: criamos um laço afetivo com este filme e sempre queremos voltar a assistí-lo para rever os velhos e bons amigos.
    [e a trilha sonora é arrebatadora!]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS POSTAGENS

ASSINE E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES