FILME DO DIA

E-BOOK

CINEMARDEN VAI AO OSCAR

A INVENÇÃO DE HUGO CABRET

Para começo de conversa, A Invenção de Hugo Cabret, dirigido em 2011 por Martin Scorsese, foi o grande injustiçado do Oscar de 2012. O filme recebeu onze indicações, ganhou cinco delas: fotografia, direção de arte, efeitos visuais, som e mixagem de som. Pode até parecer muito. Mas Hugo merecia muito mais, principalmente o Oscar de melhor filme, que foi ganho por O Artista. O tempo já vem se encarregando de corrigir esta falha. O vencedor do prêmio é lembrado hoje como uma simples brincadeira de fazer um filme novo como jeito de velho. A Invenção de Hugo Cabret, ao contrário, melhora a cada nova visita e mostra o que verdadeiramente é, uma declaração de amor ao cinema. O roteiro, de John Logan, é uma adaptação do livro de Brian Selznick e nos apresenta Hugo (Asa Butterfield), um garoto órfão de doze anos que vive em uma estação de trem de Paris. Ele fica amigo de Isabelle (Chloë Grace Moretz) e do padrinho dela, o misterioso dono de uma loja de brinquedos, vivido por Ben Kingsley. Um cineasta apaixonado e profundo conhecedor de sua arte como Scorsese, jamais perderia a chance de prestar uma grande homenagem aos primórdios do ofício que é sua razão de viver. Hugo Cabret nos conduz ao passado para iluminar o presente de uma invenção que nasceu, no final do Século XIX, como um experimento científico-visual. Pouco tempo depois, aquele invento que os próprios criadores não acreditavam que teria um futuro se transformou em expressão artística, se profissionalizou e virou indústria. Scorsese utiliza a mais moderna tecnologia existente para homenagear o pioneirismo de Georges Méliès. Ele, que é considerado por muitos o maior herói da História do Cinema. Méliès nos ensinou a sonhar acordados através da magia dos filmes.

A INVENÇÃO DE HUGO CABRET (Hugo – EUA 2011). Direção: Martin Scorsese. Elenco: Asa Butterfield, Chloë Grace Moretz, Ben Kingsley, Jude Law, Helen McCrory, Emily Mortimer, Sasha Baron Cohen, Ray Winstone, Michael Stuhlbarg e Christopher Lee. Duração: 126 minutos. Distribuição: Paramount. 

COMPARTILHE ESSA POSTAGEM

5 respostas

  1. HUGO é uma homenagem ao cinema, uma homenagem aos “contadores de história”. Um FILME com letras graúdas dirigido por um MESTRE, embalado por uma equipe técnica e elenco extraordinários. Um filme que segue conosco, sempre. E como toda grande Arte, tem o potencial de nos fazer pessoas melhores.

  2. Texto lindo, Marden. Dos melhores já escritos. Gostei imenso e fecha com chave de ouro [tem uma chave no filme!] o terceiro ano desta notável experiência de ler – todos os dias – o teu texto para o Filme do Dia. PARABÉNS! Redobrados PARABÉNS! Um trabalho, como A Invenção de Hugo Cabret, que na verdade se revela igualmente uma declaração de amor ao cinema. BRAVO!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS POSTAGENS

ASSINE E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES